Coca Cola zero, light e life engordam?

Os refrigerantes são os refrescos mais populares do mundo, em especial no ocidente. Sendo a primeira opção por boa parte da população mundial, a Coca Cola aposta em comerciais sedutores, pesquisas de mercado e cientistas de alto padrão para produção de refrescos cada vez mais atraentes aos olhos dos consumidores.

Mas… você sabia que a Coca Cola comercializada no Brasil e em boa parte da América Latina não é a mesma disponibilizada nos EUA ou na Europa?

Campeã de vendas no mercado alimentício mundial, a Coca Cola personaliza sua receita com o objetivo de agradar o máximo de paladares possíveis. Com este objetivo, pesquisas culturais são conduzidas pela empresa para atingir o sabor exato que cada região do mundo prefere.

Com níveis assustadoramente altos de açúcar em suas composições, veja aqui os malefícios para a saúde do consumo desenfreado de Coca Cola.

Mito ou verdade: Descubra também se as variantes Zero e Light da Coca Cola não engordam e quais seus efeitos a longo prazo. Boa leitura

Coca Cola clássica

Latas e garrafas de Coca Cola em cima de uma superfície de gelos

Cola Cola

Cada 300ml de Coca Cola contém cerca de 140 calorias e 40 gramas de açúcar, números assustadoramente altos quando consideramos que o refresco não possui nenhuma vitamina, nutriente, mineral ou qualquer substância benéfica ao organismo. São apenas calorias e açúcares ruins sendo ingeridos gratuitamente no metabolismo. De acordo com a própria empresa, cerca de 15% da receita da Coca Cola tradicional é composta por açúcar.

Mais que apenas o aumento significativo de peso, o consumo deste refrigerante gera diversos danos à saúde, em especial pelo alto índice de açúcar. Veja os principais danos que a Coca Cola traz a sua saúde:

Aumento de peso: Extremamente calórica, o consumo de Coca Cola está associado ao aumento drástico de peso. Isso ocorre porque a quantidade de energia (açúcar) consumida é infinitamente superior à quantidade necessária. O excesso de açúcar consumido – aquele que não é utilizado pelo organismo como energia – é acumulado, tornando-se gordura. Além do alto índice de calorias, a Coca Cola não sacia, o que significa que o apetite continua o mesmo. Isso quer dizer que os adeptos deste refresco continuarão consumindo a mesma quantidade de açúcar em todas as suas refeições + o açúcar deste refrigerante.

Diabetes 2: O açúcar oferecido pela Coca Cola é absorvido muito rapidamente pelo sangue, o que causa desequilíbrio no índice glicêmico do organismo. Este desequilíbrio glicêmico é um dos principais fatores associados ao desenvolvimento de doenças como Diabetes tipo 2.

Vício: Você sabia que o açúcar é uma droga como qualquer outra? É possível se viciar em açúcar tanto quanto em nicotina, álcool ou heroína. Assim como as outras substâncias psicoativas, o açúcar encontrado na Coca Cola ativa neurotransmissores responsáveis pela produção de serotonina e dopamina. Estas substâncias geram sensação de bem estar, prazer e relaxamento, o que faz o açúcar ser um elemento altamente viciante. Tal qual com outros vícios, a interrupção do consumo pode provocar períodos de ressaca, uma vez que o organismo está habituado a receber determinadas doses do açúcar.

Mas a Coca Cola Light, a Coca Cola life e a Coca Cola Zero não engordam, certo?

 

Quatro garrafas de vidro de Coca Cola, da esquerda para a direita: Coca Cola life, Coca Cola tradicional, Coca Cola zero e Coca Cola light

Coca Cola life, Coca Cola tradicional, Coca Cola zero e Coca Cola light

Antenada como só a campeã de vendas mundial poderia ser, aos primeiros indícios de preocupação com o corpo perfeito, a Coca Cola produziu e passou a comercializar a opção light, seguida pela Coca Cola zero e, mais recentemente, pela versão life – que tem muito mais relação com uma jogada de marketing do que com alterações significativas na composição química.

A Coca Cola light, zero e life são atualmente as favoritas entre os adeptos da silhueta perfeita, o corpo violão e das academias – nossos novos santuários.

Apesar de ter caído por terra há anos, parece ainda haver uma confusão entre a dicotomia do corpo esbelto e da saúde. Magreza não é sinônimo de saúde e, desse modo, os itens consumidos para manter o corpo magro não são, necessariamente, os mesmos itens consumidos para garantir uma vida saudável.

É inegável que as versões light, zero e life da Coca Cola possuem menos açúcar e, consequentemente, menos calorias que a opção tradicional. Entretanto, estas versões continuam sendo refrescos gaseificados, repletos de substâncias químicas e edulcorantes.

A Coca Cola light e zero tem apenas 0,7 calorias/lata, o que é uma redução significativa quando comparada as 140 calorias da versão tradicional. Essa redução é resultado da mudança de açúcar por aspartame, adoçante natural. O aspartame imita a doçura do sabor sem acrescentar calorias, além de ser edulcorante.

Apesar da diferença gritante do volume de calorias, o aspartame é tão viciante quanto o açúcar, uma vez que causa reação nos neurotransmissores. Alguns especialistas destacam que, além de também não saciar o apetite, o aspartame aumenta a vontade de comer doces.

Nesse sentido, apesar de não engordar diretamente, o consumo de Coca Cola life, light e zero intensificam o desejo pelo consumo de doces, o que engorda e causa diversos problemas de saúde.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *