Inhame emagrece?

Popular em todo o território nacional, o inhame é cultivado em climas tropicais. Este tubérculo é especialmente produzido e consumido no nordeste brasileiro, assim como em diversos países da América Latina, África, Oceania e Ásia. Na África Central, o inhame é considerado um item básico das refeições.

Com fins medicinais, algumas espécies de inhame possuem substâncias extremamente interessantes para a indústria farmacêutica, como a diosgenina, substância comumente utilizada no produção de pílulas anticoncepcionais.

Rico em carboidratos e fibras, o inhame vem se destacando quando o tema é a saúde. Sem elevação das taxas de glicemia no sangue, este tubérculo é altamente indicado para pacientes com diabetes ou para aqueles que buscam por reeducação alimentar.

Com poder para fortalecer o sistema imunológico e reduzir o colesterol LDL, este tubérculo ganha espaço entre as orientações médicas e nutricionistas. Veja aqui os principais benefícios do inhame para a saúde de seus adeptos.

Benefícios do inhame

Balde com inhames cortados em rodelas

Inhame

Fortalecimento do sistema imunológico: Rico em vitamina C, vitamina E, vitaminas do complexo B e com ação antioxidante, o inhame participa da formação de diversos anticorpos do organismo, o que protege o corpo e os órgãos de danos causados por radicais livres e, consequentemente, aumenta o sistema imunológico

Prevenção de doenças cardiovasculares e cardíacas: Rico em potássio, o consumo de inhame está associado ao controle da pressão arterial. A vitamina B6, também encontrada no tubérculo, reduz o nível de homocisteína, o que previne infarto.

Saúde da mulher: Apesar de não haver comprovação científica, diversos especialistas acreditam que a diosgenina encontrada no inhame contribui para a produção de estrogênio, um dos hormônios mais importantes para o organismo feminino. Diversos médicos orientam o consumo deste tubérculo para mulheres que precisam de reposição hormonal ou que sofrem com os sintomas da TPM, como cólicas, irritabilidade, inchaço, dor de cabeça e ansiedade. Além disso, atualmente estão sendo conduzidos alguns estudos para verificar a associação entre a diosgenina e a melhora na fertilidade.

Prevenção do câncer: Com quantidades atraentes de vitamina A e C, o inhame está na categoria dos alimentos antioxidantes mais recomendados por especialistas para prevenir diversos tipos de câncer.

Combate ao Mal de Alzheimer: Fonte de vitaminas B6, B9 e diosgenina, o tubérculo previne uma das doenças mais temidas da terceira idade por manter o nível DHEA elevado na velhice, um dos fatores mais fortemente associados ao desenvolvimento do Mal de Alzheimer.

Prevenção da anemia: Com níveis interessantes de ferro, cobre, vitamina C, B6 e ácido fólico, o inhame auxilia desde o transporte de oxigênio realizado pelas hemácias e acesso, armazenamento e absorção do ferro no organismo até a produção de hemoglobinas e maturação das células sanguíneas.

Mas, inhame ajuda a emagrecer?

Certo, o inhame faz muito bem para a saúde. mas será que poderá auxiliar a perder peso?

Sim, o inhame também é benéfico para aqueles que buscam a redução de medidas. Rico em fibras e considerado um carboidrato de baixo índice glicêmico, este tubérculo é liberado lentamente na corrente sanguínea – o que evita picos de glicemia no sangue.

O consumo de inhame garante a menor produção de açúcar por parte do organismo, o que poupa o pâncreas e evita a estocagem de gorduras no corpo, em especial no abdômen.

Além da baixa produção de insulina, o consumo de alimentos fibrosos, como o inhame, mantém a sensação de saciedade por mais tempo.

Com pouquíssima gordura e carboidratos complexos, o inhame é um alimento excepcional para aqueles que desejam emagrecer de forma saudável. Com liberação da glicose de forma gradativa na corrente sanguínea, este tubérculo beneficia a saúde, mantém a sensação de saciedade e auxilia na redução de peso.

Melhores formas de consumir o inhame

O ideal é consumir o inhame cozido, assado ou no vapor. Para pacientes com pedra nos rins, o mais indicado é a opção cozida. Apesar da popularidade do inhame cru, em especial como suco, este método de consumo potencializa possíveis alergias.

O suco de inhame cru traz os mesmos nutrientes existentes nos outros formatos para consumo, porém, é muito menos fibroso. Isso pode agradar ao paladar de alguns, todavia, traz menos benefícios quando o assunto é a saciedade prolongada e a perda de peso.

O inhame pode ser inserido em diversas receitas, como purês, saladas, vitaminas, sopas, refogados, massa de bolos e nhoques.

Quantidade recomendada de inhame

Apesar de saudável e com diversos benefícios para os seus adeptos, o inhame é um carboidrato que pode ser calórico se consumido desenfreadamente. O mais indicado é inserir este tubérculo moderadamente entre as refeições. Preferencialmente, opte por apenas uma porção de inhame ao dia.

Quantidades elevadas de inhame podem armazenar quantidades não gastas de energia e convertê-las em gordura, o que pode acabar com sua dieta.

Contraindicações

A diosgenina do inhame pode alterar o sistema endócrino, mesmo que discretamente. Por este motivo, gestantes e lactantes devem evitar o consumo deste tubérculo.

O ideal é que um nutricionista seja consultado antes da inserção ou exclusão de qualquer ingrediente da alimentação. O nutricionista é o profissional mais bem preparado para analisar as demandas de seu organismo e construir uma dieta bem equilibrada e que alcance os objetivos que você busca, sem se colocar em riscos.

Utilize o bom senso e a moderação.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *